Quem está On-line

Temos 7 visitantes e sem membros em linha

Visitas

Hoje0
Ontem1
Esta Semana3
Este Mês20
Todas4571

Noite cultural do colégio

Na noite de 24 de abril, foi apresentada ao público, no Salão Paroquial de Vagos, a peça de teatro “Salomé”. Com a peça pretendeu-se recriar as vivências da população do concelho, nas décadas anteriores ao 25 de abril de 1974, dando a conhecer um pouco da história de Vagos.
“Salomé”, nome dado à personagem principal da peça, rapariga do campo que anseia mudar de vida emigrando para outro país. “Salomé”, moça na flor da idade, apreciadora de um pé de dança estava impedida de ir ao baile pois a mãe de luto não a acompanharia. O “ Manel”, rapaz com quem tivera falas, tinha partido para a guerra no ultramar. A palavra guerra era dita em surdina, como se fosse um segredo, e Salomé devia guardar respeito ao Manel para não ficar “falada”. 
 
Ao borralho, as inevitáveis comparações de tempo feitas pela Ti Maria Rosa recriam a juventude e o namoro no tempo da mãe e da filha. No tempo da mãe, anos 40, os trabalhos agrícolas sucediam-se uns aos outros conforme as estações do ano e o tempo que sobrava para o recatado namoro era pouco. Anos 60, a juventude a Salomé apoquentada com a pobreza, com o luto, com guerra do ultramar, via na ida para França com a tia a solução para mudar de vida. Não eram poucos os exemplos dos que tinham partido para outros países e cuja vida tinha tomado um rumo diferente. A Ilda da Celeste era o exemplo de vida para melhor, mais branquinha, mais gordinha, mais bem vestida…
 
Foi uma noite inesquecível, uma viagem no tempo, para os mais velhos e um conhecer da história de outros tempos, para os mais novos.